Sobre piadas, oprimidos e opressores

0
82

A onda contrária ao politicamente correto nunca esteve em alta como nesses tempos de onda conservadora. Memes são emitidos nas redes sociais para que todos soltem seus recalques. E por vezes muitos não entendem que direitos sejam respeitados. Peguei um meme recentemente e lhe decupei para explicar piadas contra determinadas nichos da população.

Confira:

– Piada com branco é normal;

Piada com negro é racismo;

Explicação: negros foram submetidos a uma série de preconceitos ao longo da história do Brasil. Negras foram estupradas por senhores de Engenho; Negros foram beneficiadas pela abolição mas sem qualquer perspectiva de emprego.

Pergunta: qual é a graça disso?

–Piada com homem é normal;

Piada com mulher é machismo

Explicação: o salário de uma mulher com nível superior representa 62% daquilo que recebe um homem;

Em 2014, do total de 52.957 denúncias de violência contra a mulher, 27.369 corresponderam a denúncias de violência física (51,68%), 16.846 de violência psicológica (31,81% e , 5.126 de violência moral.

Pergunta: qual é a graça disso?

–Piada com Hetero é normal

Piada com gay é homofobia

Explicação: Uma homossexual é assassinado a cada 48 horas no Brasil.

Pergunta: Você consegue encontrar graça nisso? Eu não.

–Piada com Sulista é normal

Piada com nordestino é xenofobia

Explicação: Salários no Nordeste são, em média, 30% menores que no Sul e Sudeste. Nordestinos são alvo de preconceitos nas regiões Sul e Sudeste.

Alguém poderá apontar alguma graça nisso?

Piada com Cristão é normal

Piada com qualquer outra religião é intolerância…

Explicação: em nome do Cristianismo indigenas foram dizimados, ditaduras foram justificadas e atualmente minorias são perseguidas de modo implacável. Em muitas áreas da vida humana, os Cristãos não são oprimidos, são opressores. São perseguidos em muitas partes do mundo? São. Mas a falta de discernimento e entendimento dos malefícios que muitos fizeram em nome de Deus é de assustar…

Conclusão: piada boa é sempre com o opressor, nunca com o oprimido. Charles Chaplin, Chico Anysio, Montphy Piton e outros humoristas de renome comprovam isso. Querem uma prova? Vejam esta declaração do próprio Chico Anysio, em uma edição do programa Roda Viva, da TV Cultura, em 1993. “(…) O meu programa durante 35 anos esteve semanalmente no ar e era absolutamente crítica social. Eu sempre defendi o pobre, o preto, o nordestino, o retirante, o mendigo, o preso, o esfarrapado. Então, rico, nos meus programas, sempre fez papéis ridículos, nunca eu fiz um rico que se desse bem no meu programa. Que era uma maneira de dar um sonho, que fosse, para o povão que vê o programa”, disse o humorista. Bingo. Se precisar desenhar mais bonito a gente dá um jeito.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here