Pastores comandam protesto em Brasilia no dia 05. Veja por que tudo não passa de uma grande falácia

1
20

No dia 05 de junho, o pastor Silas Malafaia estará a frente de uma realização de uma manifestação em Brasilia para pedir a Liberdade de Expressão, liberdade religiosa e pela família tradicional. Em seu programa de televisão, jurou de pés de juntos que a manifestação era pacifica mas posteriormente desfilou criticas e mais criticas. Para amenizar, enumerou vários pastores que estarão presentes e abraçaram a causa. O roteiro é conhecido: o palanque será usado para atacar a união civil entre homossexuais, acusações ao governo Dilma de cercear a liberdade religiosa e vão estabelecer um pacto de influenciarem nas eleições presidenciais de 2014. Ou seja, o pano de fundo é destruir o PT, o ideário progressista e sufocar quem pensar dessa maneira no interior das igrejas. Ponto.

Já que esses lideres querem tanto a liberdade religiosa e de expressão, este blog, cujo um dos responsáveis é Cristão, decidiu  encaminhar alguns pontos que poderiam ser abordados na manifestação.

Pastores contra a ditadura?

Se esses pastores são tão sedentos de Liberdade de Expressão, onde eles estavam durante a ditadura militar que durou de 1964 a 1985? Estavam contra ou a favor da tortura e do regime de exceção? O que eles pensam dos fiéis que atuaram como delatores do regime e colocaram em risco a vida de centenas e milhares de irmãos, que, apesar de progressistas, frequentavam as igrejas evangélicas? Vou mais longe: esses pastores que estarão em Brasília apoiam o trabalho da Comissão da Verdade? Estariam dispostos a colaborar com os trabalhos? E se por acaso um regime de exceção retornasse ao Brasil, de que lado estariam? Do Estado opressor ou dos perseguidos?

Perseguição nos olhos dos outros

Os líderes reafirmam a defesa da Liberdade religiosa. Tudo ótimo. Agora, se o Estado é laico, o que eles pensam das agressões dirigidas a religiões de matriz africana? A agressão só vale para o outro lado? É justo e salutar destruir os templos de outras religiões espalhados pelo Brasil? Em suma, a liberdade religiosa só vale para nós, Cristãos Evangélicos?

Olhos fechados para novos modelos

Os nobres pastores defendem a família tradicional. Lógico, é bonito vislumbrar a formação clássica de pai, mãe e filhos. Agora, uma pergunta se faz necessária: digamos que uma garota namora um rapaz, engravida e após um período, com o relacionamento cortado, converte-se ao evangelho. E decide criar seu filho sozinha, sem marido. No espectro do Código Civil a mãe pode dizer no peito e dizer que tem uma família. Como a igreja trata este fato? Encara a mulher como comandante de uma família ou faz vistas grossas ao preconceito interno?

Para terminar, uma reflexão: pastores e fiéis protestam pelo fato de que casais homossexuais adotam crianças. Já parou para pensar no obvio: que aquelas crianças foram adotadas pelo casal homossexual porque um casal heterossexual não quis ou não procurou? Sugestão: ao invés de criticar os homossexuais porque os pastores não proliferam uma intensa campanha dentro das igrejas para incentivar a adoção por parte de casais Cristãos? Seria uma bela maneira de pregar o amor ao invés do ódio.

Poderia abordar outras vertentes em cima da pauta da manifestação marcada para quarta-feira em Brasilia. Prefiro ser curto e grosso: não trata assuntos relevantes e é apenas mais um instrumento de manipulação política. Uma pena.

SHARE
Previous articlePor que Dilma não fala mais?
Next articleSeleção empata com a Inglaterra e deixa certezas (e dúvidas!) sobre seu futuro
Elias Aredes Junior é jornalista, radicado na cidade de Campinas, Estado de São Paulo. Trabalha como repórter esportivo para o Jornal Todo Dia de Americana e também como comentarista esportivo para a Radio Central AM de Campinas, 870 KHz. Diariamente participa dos comentários na programação esportiva entre as 18:00 e 20:00, além de comentar jogos de futebol nas transmissões ao vivo da emissora. Aqui ele fala sobre tudo, futebol, esporte, política, religião, entretenimento, cultura, culinária, tudo isso sempre com seu olhar crítico e independente.

1 COMMENT

  1. Pastores contra a ditadura?
    Nessa época os cristãos evangélicos eram menos de 5% da população hoje os cristãos evangélicos são mais de 40% por isso hoje eles podem fazer protestos como esse

    Olhos fechados para novos modelos
    meu amigo sai de sua casa e vá conhecer o que você critica as igrejas cristãs evangélica são pioneiras em ajudar esse perfil de pessoas , alem de muitas outras suprindo as necessidades e ate dando moradia
    http://www.eltorreon.com/ajuda-de-mae-solteira-programas-de-assistencia-financeira-que-ira-ajudar-uma-mae-levantar-seu-filho.html
    http://www.cedofeita.porto.ecclesia.pt/orbrassociaisp2.htm

    Perseguição nos olhos dos outros
    mostre prova de que cristão destruíram templos de outros , antes são as igrejas cristãs que muitas vezes sofrem ataques quase diariamente tacão fogo em igrejas e etc etc ..
    http://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/2013/03/nao-temos-condicoes-de-ficar-diz-pastor-de-igreja-atacada-em-sumare.html
    http://cleofas.com.br/alem-da-igreja-nigeriana-outras-igrejas-catolicas-foram-atacadas-no-natal/
    http://pesformosos.com/costa-do-marfim-igrejas-atacadas-e-refugiados-sofrendo/
    http://luzevida123.blogspot.com.br/2012/03/igreja-crista-atacada-por-terroristas.html

    Para terminar, tenho quase 100% de certeza que você não viu o protesto por completo e não sabe o que é imparcialidade

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here