Palmeiras deixa Gilson Kleina em segundo plano. É coerente?

0
26

Noticia publicada na edição desta terça do jornal Lance! mostra que o técnico Gilson Kleina tomou conhecimento de que a diretoria do Palmeiras designou o executivo José Carlos Brunoro para negociar com Marcelo Bielsa, atualmente sem clube. Ao tomar conhecimento de que o comandante argentino deseja receber R$ 1 milhão por mês, o Alviverde desistiu e iniciou conversas com Kleina para renovar.

Detalhe: a mesma matéria diz que dirigentes consideram exagerados os rendimentos do atual treinador palmeirense, atualmente na casa de R$ 300 mil. Detalhe: ele foi contratado para em 2014 retornar para a divisão de elite. Se empatar com o Paysandu, hoje, às 21h50, em Belém, o título estará assegurado. O objetivo não foi cumprido? Na minha opinião, com sobras.

Sei que Gilson Kleina tem o desejo de ficar para a próxima temporada. Quer continuar na administração do elenco e viabilizar resultados mais palpáveis na comemoração do centenário. No entanto, Eu, no lugar de Gilson Kleina, agradeceria mas iria buscar novos horizontes.

Por um motivo: com as atitudes recentes, a diretoria do Palmeiras deixou a atual comissão técnica em segundo plano. Demonstrou que o atual trabalho, mesmo com bons resultados, não cativou a cartolagem. Quer porque quer um técnico de grife até para se resguardar de possíveis cobranças no próximo ano. Então, se o meu chefe não me dá a devida atenção, porque deveria ouvir sua proposta salarial. E mais: equipes grandes do futebol brasileiro certamente abrirão vagas de treinador no próximo ano e podem ser uma porta de entrada para Kleina no seleto grupo dos treinadores top.

Por enquanto, equipes como Santos, Botafogo e Internacional têm a perspectiva de estudar a troca de comissão técnica em 2014. Será que Gilson Kleina não desperta o interesse em nenhuma dessas equipes? Se existe algo que dificilmente o atual treinador palmeirense vai conviver em curto prazo é com o desemprego.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here