Movimento Evangélico Progressista: por que resolvi entrar na luta

1
30

Durante minha trajetória profissional tive o cuidado de jamais me filiar a qualquer entidade. Meu critério era de que o ofício do jornalismo tinha como base a independência total para o exercício do espirito critico. Nunca fui filiado a partido político (apesar de minha escancarada preferência por partidos progressistas) e também nunca fui e jamais pretenderei ser sócio de nenhum de clube de futebol. Apesar de reconhecer o obvio: todo cronista esportivo tem um time do coração. Não sou diferente.

Toda regra tem exceção. Após meditar por dias e dias, decidiu filiar-me ao Movimento Evangélico Progressista (MEP). Com componentes de diversas igrejas evangélicas e calcado na defesa da ética cristã e de uma ação social mais contundente e consciente, o MEP, na humilde opinião desde blogueiro, pode ser o estopim para o fomento de um debate necessário sobre a crise de valores por qual passa a igreja evangélica brasileira.

Uma igreja que cresceu de modo desordenado nos últimos anos e que não tem um foco definido na sociedade.
Algumas denominações priorizam o ensino enquanto outros pregam a teologia da prosperidade. Outros, por sua vez, defendem com unhas e dentes o ideário conservador. Nada contra se não fosse por um detalhe: a defesa do conservadorismo passa por estrangulamento das outras matizes ideológicas reinantes entre os outros irmãos em Cristo.

Para piorar o quadro, enquanto centenas e milhares de pastores e missionários passam por calvários materiais e com salários miseráveis, um punhado seletivo goza de salários nababescos e recusam-se a refletir sobre esta terrível concentração de renda. Pior: o debate sobre este quadro horripilante é camuflado por pessoas e instituições que usam a Biblia Sagrada de modo distorcido. Pior: adotam versículos como passaporte para a omissão e o desprezo ao zelo e a transparência, o que colabora para uma igreja cada vez mais doente.

Sim, são os sinais dos tempos. Mas Deus não deseja filhos apáticos. Quer sim, gente disposta a debater, trocar ideias e dentro dos mandamentos de Deus, construir uma igreja melhor tanto espiritualmente como aberta a democracia, palavra em desuso em instituições focadas em tirar o ser humanas das mais diversas mazelas, inclusive da ignorância intelectual. Dentro de minhas limitações, é neste cenário que pretendo contribuir por intermédio do MEP.

SHARE
Previous articleBoas e más notícias na derrota do Brasil
Next articleBarcos vai embora. O Palmeiras definitivamente trilha o caminho certo
Elias Aredes Junior é jornalista, radicado na cidade de Campinas, Estado de São Paulo. Trabalha como repórter esportivo para o Jornal Todo Dia de Americana e também como comentarista esportivo para a Radio Central AM de Campinas, 870 KHz. Diariamente participa dos comentários na programação esportiva entre as 18:00 e 20:00, além de comentar jogos de futebol nas transmissões ao vivo da emissora. Aqui ele fala sobre tudo, futebol, esporte, política, religião, entretenimento, cultura, culinária, tudo isso sempre com seu olhar crítico e independente.

1 COMMENT

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here