Histórias do domingo: o dia em que meu pai “descobriu” o mapa do Brasil

1
17

Sempre que possível quero expor aos domingos histórias e causos vividos por esta pessoa que vos escreve ou por minha família. E nesta primeira história quero homenagear o meu pai, cujo falecimento completará dois anos na terça-feira.

Ele era dono de um senso de humor afiado, por incrível que pareça. Adora fazer imitações e encaminhar sacadas quando estava com pessoas em que tinha simpatia.

Tal atributo foi exibido em determinado que recebeu a visita de uma vizinha. Querida, simplória, mas muito humana, veio visitar minha mãe que tinha recém chegado de uma internação para tratamento de diabetes. A sala estava repleta: eu, meu pai, minha mãe, minha irmã Elaine, a vizinha, sua filha e na porta da sala, loucas para participarem da “conversa” as minhas cachorras, a basset Totica e a coker Tati. Uma festa.

Em determinado momento, a vizinha, com ânsia de embalar a conversa diz que sua patroa iria viajar para um estado distante, mas que não se lembrava do nome. A partir daí, uma verdadeira gincana estabeleceu-se para lembrar o estado misterioso:

– Mãe, é no Rio de Janeiro?- indagou a menina

– Não! – respondeu a vizinha

– Pernambuco? – Indagou minha irmã.

– Nada disso.

-Espirito Santo?

-Não.

-Minas Gerais?

-Nem pensar.

-Paraná?

– Errado, respondia com um sorriso de agonia nos lábios.

Mesmo assim, continuava a ouvir os palpites:

– Santa Catarina?

-Rio Grande do Sul?

– Bahia?

– Sergipe?

– Piauí?

– Amazonas?

– Acre?

– Pará?

– Tocantins?

– Mato Grosso?

– Rio Grande do Norte?

– Amapá?

Todos os demais palpites receberam resposta negativa. A agonia tomava conta da sala diante da aula geográfica acidentada. Mas algo chamava atenção: meu pai, sentado no sofá, com a camisa sobre o ombro direito, ostentava um sorriso amarelo, quase triunfante. Quando percebeu que todo o mapa do Brasil tinha sido percorrido, ele olhou e disse a todos:

– Eu sei…Estados Unidos!

– Nossa “seo” Elias…É esse mesmo!

Risos incontroláveis no ambiente. Pano rápido e visita encerrada antes que alguém perdesse o fôlego de tanto rir. Bom domingo.

SHARE
Previous articleAudax: um retrato de como o “futebol empresa” enfrenta dificuldades no Brasil…
Next articleTodos criticam o Muricybol. O futebol brasileiro faz diferente?
Elias Aredes Junior é jornalista, radicado na cidade de Campinas, Estado de São Paulo. Trabalha como repórter esportivo para o Jornal Todo Dia de Americana e também como comentarista esportivo para a Radio Central AM de Campinas, 870 KHz. Diariamente participa dos comentários na programação esportiva entre as 18:00 e 20:00, além de comentar jogos de futebol nas transmissões ao vivo da emissora. Aqui ele fala sobre tudo, futebol, esporte, política, religião, entretenimento, cultura, culinária, tudo isso sempre com seu olhar crítico e independente.

1 COMMENT

  1. Parabéns Elias Jr.
    Sua homenagem bem demonstra a bondade e o carinho que tem por seu amado e falecido pai.
    Ao deparar com esta homenagem, com certeza “seo” Elias deve novamente apresentar um ligeiro sorriso com suas palavras.
    Abraço

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here