Fluminense 1 x 0 Grêmio: vale a pena esperar por uma única jogada de R10?

0
22

Saber parar ou adaptar-se a nova conjuntura é o principal desafio dos jogadores do futebol, especialmente aqueles acima dos 30 anos. Esqueça a vitória do Fluminense sobre o Grêmio por 1 a 0 e que deixou o time carioca provisoriamente na terceira posição com 30 pontos. Apesar da participação no gol salvador, mire-se no que produziu Ronaldinho Gaúcho no confronto deste sábado contra o Grêmio durante os 90 minutos. Sim, foi a primeira partida, existe a necessidade do atleta entrar em forma e pegar o ritmo de jogo. Só que está na hora de entendermos que o clássico camisa 10 não pode contentar-se em ficar parado no gramado, a espera do espaço (que por vezes não existe!) para fazer lançamentos ou cobranças de bola parada.

Este foi o roteiro de Ronaldinho Gaúcho. Sem a explosão e força dos tempos de Barcelona e que exibiu nos seus últimos lampejos no Atlético Mineiro, o “dentuço” teve poucas jogadas efetivas e quase não levou vantagem sobre seus marcadores no primeiro tempo. Não participava do jogo, não tinha mobilidade e de certa forma colaborava para quebrar o ritmo de jogo detonado por Gerson.

Momentos de perigo? Apenas uma cobrança de falta do lado direito na etapa inicial e que Diego Cavalieri espalmou para fora. Muito pouco.

Veio o segundo tempo e os jornalistas presentes ao Maracanã noticiavam que o próprio Ronaldinho Gaúcho determinaria o momento de sua saída. Pergunta: até que vale a pena o tricolor carioca submeter-se a esse tipo de “escravidão”? Enderson Moreira é de acordo com tal regalia?

O detalhe é que as consequencias foram visiveis. Wallace foi expulso no começo do segundo tempo, deixou o Grêmio com 10 jogadores e o Fluminense teve difculdades para usufruir da facilidade. Ficava na espera de um passe (ou milagre?) de Ronaldinho Gaúcho. Por obra do destino, a mágico surgiu. Ronaldinho Gaúcho lançou para o interior da área, Wellington Paulista ajeitou e Marcos Junior fez o gol salvador.

Então deve ser endeusado pelos 33 mil torcedores presentes por causa de uma jogada e que deu A vitória? Se for, o motivo é claro e cristalino: a pobreza do nosso futebol. Que transforma jogadores em reta final de carreira em ídolos inquestionáveis.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here