Figueirense 0 x 2 São Paulo: técnico comemora, mas sofre!

0
22

Jogos de futebol também são responsáveis em detonar reflexões. Ao acompanhar a vitória do São Paulo sobre o Figueirense por 2 a 0, ontem à tarde no Estádio Orlando Scarpelli, fiz uma reavaliação do papel do treinador. No cotidiano, somos implacáveis em criticar, detonar e dissecar as escolhas desses homens à beira do gramado. O problema é que muitas vezes existe uma margem de manobra tão estreita que chega a ser um acinte reclamar.

Veja o técnico Ney Franco. De repente, foi obrigado a escalar um time cheio de garotos e no esquema tático 3-5-2, com os beques Raphael Tolói, Rodolpho e João Filipe.

O natural seria a liberação dos alas Douglas e Cortez e uma quantia de bolas aos atacantes Ademilson e William José. Na prática, o tricolor paulista tomava a bola, mas não sabia o que fazer com ela.

O Figueirense até tentava aproveitar-se da conjuntura favorável, mas o meio-campo tinha deficiências na criação e os atacantes Julio César e Caio não eram abastecidos. Resultado: um jogo amarrado, sem emoções e calcado na marcação, quebrado primeiramente por Ademilson no minuto inicial da partida e posteriormente no segundo tempo com o gol  de William José, aos 48 minutos do segundo tempo.

Com cenário tão desolador, como intensificar as cobranças em cima do técnico Ney Franco, que assumiu recentemente o posto no Estádio do Morumbi? É injusto.

Por enquanto, é dificil uma mudança de panorama. Não por negligencia dos treinadores e sim pela qualidade dos jogadores, que deixam a desejar. Resultado: muitas vezes colocar a culpa no treinador é apenas encontrar uma forma de absorver os grandes culpados pelo mar de mediocridade no futebol brasileiro: os jogadores.

SHARE
Previous articleBernard arrebenta no gramado e recebe a indiferença como resposta
Next articleA Ponte Preta deve se preocupar com o rebaixamento?
Elias Aredes Junior é jornalista, radicado na cidade de Campinas, Estado de São Paulo. Trabalha como repórter esportivo para o Jornal Todo Dia de Americana e também como comentarista esportivo para a Radio Central AM de Campinas, 870 KHz. Diariamente participa dos comentários na programação esportiva entre as 18:00 e 20:00, além de comentar jogos de futebol nas transmissões ao vivo da emissora. Aqui ele fala sobre tudo, futebol, esporte, política, religião, entretenimento, cultura, culinária, tudo isso sempre com seu olhar crítico e independente.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here