Desastre em Mariana: FHC ficará calado?

1
72

Posições ideológicas são transmitidas no silêncio. No meio do vendaval para a apuração dos estragos em Mariana, além da mineradora Samarco, uma dúvida salta aos olhos: por que não se investiga a fundo as regras e premissas estabelecidas no processo de privatização Vale do Rio Doce, uma das controladoras da mineradora? Vou mais longe: por que o ex-presidente Fernando Henrique não foi sistematicamente inquirido sobre o assunto?

Quem conhece um pouco a história do Brasil sabe que a privatização da mineradora, em 1997, foi uma das prioridades do governo tucano, submetido a uma guerra de liminares e que teve na linha de frente o então presidente do BNDES, Luis Carlos Mendonça de Barros.

Na época , o consórcio Brasil, liderado pela CSN (Companhia Siderúrgica Nacional) arrematou 41,73% das ações com direito a voto da estatal por R$ 3,338 bilhões e ficou com a empresa. Na ocasião, os jornais relataram que o leilão ficou interrompido por mais de cinco horas, por causa de duas liminares da Justiça Federal, que foram cassadas no final do dia. O ágio foi de 20% e opositores afirmaram que o valor da empresa era, no mínimo, seis vezes maior.

Anos depois, em 2009, o ex-presidente, em entrevista ao jornalista Augusto Nunes, de Veja, disse que foi convencido de que a venda era um bom negócio e que tinha aliados para convencer a sociedade. “Eu custei a me convencer que era necessário privatizar. Eu tinha resistência psicológica. Já tinha ocorrido as privatizações das siderúrgicas e deram certo. O Serra foi um dos mais lutou pela privatização da Vale, como também da Light”, disse o ex-presidente.

Seria de bom grado perguntar ao ex-presidente se ele mantém a opinião após a lama cobrir de prejuízo e mortes uma região do estado de Minas Gerais.

1 COMMENT

  1. Eis um pedaço da entrevista (extraído do site conversaafiada.com.br do Paulo Henrique Amorim) na veja dado por FHC. O Serra foi o (ir)responsável pela privatização da Vale, quase de graça! Lembrando que o lucro de quem explora não fica aqui, vai embora pra sua matriz de origem. Diferente da destruição, cuja lama tóxica que ficará por no mínimo 1 década no Rio Doce.
    http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2010/10/06/video-serra-mandou-fhc-vender-vale-e-light

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here