Cuba, um país digno acima de qualquer suspeita

0
26

Conversei há pouco com minha amiga Juliana Sangion. Regressa de Cuba, me descreveu com entusiasmo a forma digna com que a população local vive, trabalho e se sustenta. Apesar do embargo dos Estados Unidos. Todos vivem em boas condições, apesar dos recursos escassos. Segundo ela, não há crianças na rua, drogados, pedintes e o sistema de saúde e educação é exemplar. Ponto para Cuba.
Relato vai, relato vem, a minha mente indagou: por que o Brasil não oferece tamanha cidadania aos seus conterrâneos? Existe uma série de explicações e justificativas, mas é preciso lembrar primeiro que o Brasil é um pais diverso, complexo e cheio de traumas e preconceitos.
Na essência, somos um povo conservador, alegre por fora, mas ambicioso e truculento por dentro. Que faz qualquer negócio para passar por cima do semelhante. Adotamos o preceito capitalista da pior forma: para algumas pessoas, não importa que ela esteja bem e sim, que o outro esteja mal. Ou péssimo.
O Brasil é um país que tem um presidente que sai com popularidade nas alturas, mas que assiste a um estado como São Paulo propagar uma onda de preconceito e recalque contra essa mesma pessoa.
O Brasil é um pais em que agredir negros, homossexuais, insultar pessoas que se declarem ateus ou agnósticos é algo normal ou corriqueiro. No fundo, uma parte da sociedade brasileira tem a alma do Partido Republicano dos EUA. Só não assume devido a orda de miseráveis que ainda assola o Brasil.
Fidel transformou um prostibulo a ceu aberto em uma nação digna e decente. Apesar dos problemas e de falhas no sistema. Eu por exemplo, defendo que deveriam existir eleições e liberdade de oposição. Que falaria sozinha.
Quanto ao Brasil, a alma coletiva precisa mudar. Caso contrário, continuaremos a nutrir inveja de Cuba em alguns aspectos.

SHARE
Previous articlePaulistão: uma perigosa cortina de fumaça…
Next articleA apatia evangélica que destrói o Brasil
Elias Aredes Junior é jornalista, radicado na cidade de Campinas, Estado de São Paulo. Trabalha como repórter esportivo para o Jornal Todo Dia de Americana e também como comentarista esportivo para a Radio Central AM de Campinas, 870 KHz. Diariamente participa dos comentários na programação esportiva entre as 18:00 e 20:00, além de comentar jogos de futebol nas transmissões ao vivo da emissora. Aqui ele fala sobre tudo, futebol, esporte, política, religião, entretenimento, cultura, culinária, tudo isso sempre com seu olhar crítico e independente.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here