Aloizio Mercadante, o amigo inconveniente de Dilma Roussef

0
21

Todo mundo tem um amigo inconveniente. Aquele cara pronto a dar pitacos errados ou estar ao seu lado em situações que tudo mostra que você não tem razão. Mesmo assim, a teimosia reina. Por que? O amigo inconveniente lhe dá apoio para o que der e vier. E quando tudo dá errado ele não aparece para pagar a fatura.

O governo Federal tem no ministério um amigo inconveniente. Chama-se Aloizio Mercadante, o ministro Chefe da Casa Civil. Dono de personalidade polêmica, não é popular entre os integrantes do Congresso Nacional. Dá conselhos furados e coloca na fria uma presidenta da República que de modo inacreditavel emplaca um erro atrás do outro na gestão econômica desde janeiro de 2015. A decisão é dela? Com certeza. Só que todo mandatário deveria agradecer aos céus se contar com um assessor com coragem de lhe dizer o que precisa, não aquilo que deseja ouvir. No governo Dilma, o temor e o medo suplantam o dever cívico de alertar sobre falhas e erros.

Mercadante parece ser uma figura dúbia. Ao mesmo tempo que não quer a saída de Joaquim Levy do Ministério da Fazenda apoia Dilma nas discussões econômicas e trabalha para enfraquecer o ministro dia e noite, noite e dia na questão do ajuste fiscal. Deu entrevista ao Jornal Folha de S. Paulo e disse que o governo precisava de tempo. Fica a pergunta: ele quer ou não a saída de Levy? Não se sabe.

Políticos do PMDB e alguns do PT querem porque querem sua saída. Não há chance de atender ao pedido. Motivo: Dilma Roussef ficou próxima de Mercadante, tornou-se seu confidente nas questões cotidianas. Ficou inconveniente.

Se ele sair o quadro vai melhorar? Não dá para saber. A economia e a política são volatéis e os fatos se sucedem. Mas teremos a garantia de que não haverá mais ninguém disposto a dizer amém ás decisões equivocadas oriundas do Palácio do Planalto. Para voltar ao rumo, a presidenta precisa de alguém com coragem para dizer não com ênfase. Mercadante demonstra pelo noticiário e pelas atitudes públicas que não desempenhar esse papel. Não quer ser inconveniente. Ele não sabe, mas está sendo. A tragédia está feita.  

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here